Nosso programa

De Mestrado em Economia

Quantos mestrados em economia você conhece? Certamente, nenhum teórico e prático que reúna as contribuições científicas mais sólidas em defesa do livre mercado como tem sido desenvolvidas pelas correntes mais relevantes do pensamento liberal.

Nesse Mestrado em Economia OMMA-UFM, nós preparamos um programa com o objetivo de que nossos alunos aprendam quais são os processos econômicos e as instituições que explicam o bem-estar das pessoas em sociedade. O programa aprofunda tanto os aspectos técnicos da análise econômica, como as instituições sociais que impulsionam o desenvolvimento econômico. Consciente da missão de OMMA e da UFM, o Mestrado em Economia OMMA-UFM estuda e avança os princípios econômicos, mas considera o vínculo com os princípios éticos e jurídicos de uma sociedade de pessoas livres e responsáveis. Se lhe interessa a estrutura acadêmica desse Mestrado, podemos dizer que é certificado pela Universidad Francisco Marroquín (UFM) e pelo Centro de Estudios Superiores Online de Madrid Manuel Ayau (OMMA), que conta com um programa de 60 créditos ECTS e que tem duração de 12 meses + tese. Se, por outro lado, o que realmente lhe interessa é conhecer a fundo os conteúdos de nosso programa, continue lendo:


Programa

Introdução à Economia

Problema económico: alocação de recursos e comunicação de informação dispersa. O ponto de vista econômico. Necessidades, bem-estar e geração de riqueza. Economia, mercados e sociedade. Instituições: dos direitos de propriedade e a liberdade contratual à moeda. A economia como ciência da ação humana.

Processos de Mercado

A economia como processo de coordenação. Valor e preço de bens /serviços de consumo. A variável tempo na economia: a interação entre preferências temporais e estrutura de produção. Preços de bens / serviços de produção: salários e renda da terra. O sistema de preços relativos como sistema de comunicação de informação dispersa. A demanda e a empresa. Concorrência e monopólio: instituições e eficiência. Externalidade, bens públicos, informação assimétrica: das “falhas de mercado” às “falhas do governo”.

Análise Econômico do Socialismo

A disciplina de Análise Econômico do Socialismo visa explicar como realmente funcionavam os sistemas socialistas na hora de planificar a produção e coordenar seus aparelhos burocráticos, identificando os insuperáveis problemas de informação e incentivos com os quais lidavam.

Teoria Monetária e Bancária

O propósito dessa disciplina é decifrar a natureza do dinheiro e do crédito, explicando seu papel coordenador da divisão do trabalho, mas também descoordenador da mesma através do ciclo econômico.

História do Pensamento Econômico

Nessa disciplina, o aluno aprofundará seu aprendizado daquelas ideias, autores e assuntos que têm contribuído para a formação do estado atual da ciência econômica, com todos os seus erros e acertos. Ao longo dessa viagem intelectual, o aluno conhecerá em detalhes como e porque se desenvolveram as boas e más ideias que, de uma forma ou outra, seguem governando o mundo atual.

História Econômica

Um bom economista necessita não somente possuir um conhecimento profundo da teoria econômica, mas também dos fatos econômicos tal como ocorreram ao longo da história. A disciplina de história econômica constituirá não somente de uma narração de como o capitalismo enriqueceu as nações, mas também de como o estatismo freou esse processo sadio de enriquecimento generalizado.

Economia e Instituições

Nessa disciplina serão analisadas as diferentes instituições que existem na sociedade pela perspectiva das seguintes escolas de pensamento: Escola Neoinstitucionalista, Escola Austríaca, Escola de Chicago, Escola de Bloomington e Escola da Escolha Pública (Public Choice).

Ambiente Econômico

Em geral, as decisões empresariais e econômicas são tomadas sob a influência do ambiente econômico. Questões como a arbitrariedade do poder político, a robustez das instituições, o crescimento econômico, o nível de abertura dos mercados, a intervenção regulatória do governo ou a situação financeira do Estado determinam, em grande medida, a estratégia que uma empresa adotará durante sua vida. Essa disciplina foi desenhada para analisar o ambiente econômico que os empresários, políticos e agentes econômicos em geral devem estudar para tomar decisões de sucesso.


O conteúdo da disciplina divide-se em três partes. A primeira explora os fatores que determinam a competitividade de uma economia. Os empresários preferem desenvolver seus projetos empresariais em mercados altamente competitivos, especialmente se planejam competir no mercado internacional ou com empresas que são referência na economia global. A segunda estuda os fatores específicos que determinam a dificuldade ou facilidade relativa de abertura, administração e fechamento de uma empresa. A terceira e última avalia o grau de liberdade econômica de cada país. A liberdade de empresa, assim como outros tipos de liberdade relacionados à atividade econômica têm se tornado fatores-chave para o desenvolvimento econômico. Nela, trataremos de descobrir os nexos causais entre a liberdade e o crescimento econômico.

Conjuntura Econômica

A disciplina de Conjuntura Econômica busca facilitar a aplicação dos conteúdos teóricos do módulo de Macroeconomia à análise da atualidade. Longe de nos concentrarmos no comportamento dos enganosos macroagregados, prosseguiremos a analisar a situação e a evolução financeira dos distintos agentes que efetivamente tomam decisões econômicas no mercado: famílias, empresas, bancos e governos.


O objetivo final da disciplina é dotar o aluno das habilidades para poder, por um lado, interpretar corretamente o ambiente econômico que a rodeia e, por outro, redigir um relatório de conjuntura a partir de um exame atento das distintas magnitudes que interferem ao longo do ciclo econômico: consumo, investimento, taxas de juros, preços, emprego, flutuações creditícias, gasto público, etc. .

Inovação e Empresa

Embora os modelos de economia estacionária e equilíbrio geral e parcial tenham servido tradicionalmente para nos aproximar da compreensão dos fenômenos econômicos, são cada vez mais evidentes as limitações de tais paradigmas na explicação do desenvolvimento real da economia moderna.

É por isso que essa disciplina tratará da descrição e do estudo do mundo econômico e empresarial entendendo-o como um processo de “destruição criativa”, recorrendo à célebre expressão de Joseph Schumpeter.

Com esse paradigma dinâmico, revisaremos os diferentes tipos de inovações e os produtos que se desenvolvem a partir das mesmas. Assim mesmo, estudaremos as causas e as formas distintas de crescimento empresarial, dando ênfase à relação existente entre a estrutura de mercado de uma indústria e seu grau de maturidade.

Teoria do Estado

O Estado é um ator (agente) fundamental dentro das economias atuais. Todo o intervencionismo econômico se assenta sobre certa concepção do poder público que legitima suas medidas coercivas sobre a sociedade. Contudo, as razões para justificar a existência de um monopólio territorial da violência não têm sido sempre as mesmas: nessa disciplina estudaremos e criticaremos a evolução das diferentes visões.

Políticas Públicas

O intervencionismo estatal materializa-se em toda uma série de políticas setoriais dirigidas a corrigir as supostas “falhas de mercado”. Nessa disciplina serão analisadas quais são elas, seu significado, se podem ser corrigidos pelo intervencionismo estatal sem que estes tornem-se piores “falhas de governo” e, finalmente, estudaremos como funcionaria o livre mercado em matéria educativa, sanitária, previdenciária, urbanista ou meio ambiente.

Comércio Internacional e Globalização

Provavelmente, o fenómeno económico mais crucial das ultimas quatro décadas tenha sido a progressiva redução das barreiras comerciais dos países e a consequente globalização. A globalização tem permitido a multiplicação dos fluxos de bens e capitais entre países, favorecendo o barateamento do consumo e do investimento no Ocidente, assim como o aparecimento de uma classe média incipiente nos países em desenvolvimento. Contudo, a globalização também é submetida a todos os tipos de críticas, especialmente por parte de aqueles que competem diretamente com os novos empresários dentro do mercado global. Nessa disciplina analisaremos as vantagens da globalização e revisaremos as críticas mais frequentes.

Mercado de Capitais e Investimento

Uma das consequências mais positivas da globalização tem sido a criação de um mercado mundial de capitais ao qual as empresas podem recorrem para obter financiamento para implementar seus planos de negócios internacionais. Os mercados mundiais de capitais, todavia, também produzem certos riscos que devem ser considerados dentro do marco atual de papel moeda inconversível e bancos centrais inflacionistas.

Finanças Públicas e Política Fiscal

Os impostos são a razão última que justifica a existência de um Estado, assim como a manifestação que mais gera distorções no mercado. O propósito dessa disciplina é compreender, precisamente, os diversos efeitos distorcivos que a política tributária gera no comportamento dos agentes econômicos: sua poupança, seu investimento, seu consumo, a composição e o perfil do seu patrimônio, seu tempo de serviço, seu custo de financiamento ou sua capacidade de geração de riqueza no longo prazo.

PERGUNTE-NOS INFORMAÇÕES:

Calle del Ángel número 2
CP 28005
Madrid
admissoes@ommayau.com
Telf. (+34) 91 172 23 94
Horário de atendimento ao público das 14:00 às 22:00 horas (horário de Madri)


Tags: Mestrado em Economia, Economia da Escola Austríaca, Economia da Escola de Chicago, Public Choice (Escolha Pública), Nova Economia Institucional, Escola de Economia de Blommington, Mestrado em Economía online, capitalismo, livre mercado, liberalismo, Think Tanks, Doutorado em Economia, Mestrado em Jornalismo Econômico, Pós Graduação em Economia.